1. Cronograma

a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a

2. Introdução: o anticonstitucionalismo

3. Leituras

3.1 Leitura obrigatória

1: Bueno, Roberto (2012). Carl Schmitt e a crítica à democracia liberal. Revista de Estudos Jurídicos UNESP, v. 16, n. 24.

2: Pedrosa, Maria Helena. Byung-Chul Han e a democracia de espectadores. Filosofia.Arcos, 2020.

3.2 Literatura Sugerida

1: Bueno, Roberto. Democracia ou oligarquia? O controle invisível da política. Tempo soc. [online]. 2017, vol.29, n.1 [cited  2021-04-20], pp.305-325.

2: Costa, Alexandre; Coelho, Inocêncio. Teoria dialética do direito: a filosofia jurídica de Roberto Lyra Filho. Brasília: Faculdade de Direito da UnB, 2017.

3: Miguel, Luis Felipe. A democracia e a crise da representação política: a accountability e seus impasses.

3.3 Leitura complementar

1: Bueno, Roberto. A representação em Carl Schmitt: O catolicismo romano e o caso da política. Rev. Filos., Aurora, Curitiba, v. 29, n. 47, p. 455-479, maio/ago. 2017.

2: Schmitt, Carl. Political Theology. Z-Library.

3: Schmitt, Carl. A crise da democracia parlamentar. Z-Library.

4: Habermas, Jürgen. Apresentação. Em: Schmitt, Carl. O conceito do político. Z-Library.

4. Atividades

4.1 Post 9: Os limites da democracia liberal